‘Sai o kit gay e entra a leitura em família’, diz ministro da Educação

Durante reunião com o presidente Bolsonaro, Abraham Weintraub enalteceu o trabalho desempenhado pela pasta e citou o programa Conta para Mim

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, enalteceu o trabalho desempenhado pela pasta no ano passado durante reunião com o presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira (7). Ele citou, em especial, o programa Conta para Mim lançado em dezembro, que incentiva a leitura no ambiente familiar.

Leia também: MEC oficializa as mudanças no Fies e no P-Fies para 2020

“(O programa) busca justamente valorizar o papel da família com as crianças pequenas nesses primeiros momentos. Sai o kit gay e entra a leitura em família”, disse o ministro, no encontro transmitido ao vivo do Palácio do Planalto.

Bolsonaro e seus apoiadores chamam de “kit gay” o material batizado de “Escola sem Homofobia”, que chegou a ser discutido dentro do Ministério da Educação (MEC) em 2011, mas que teve produção e distribuição vetadas pela então presidente da República, Dilma Rousseff. Durante a reunião, foi exibido vídeo de balanço da atuação do MEC em 2019.

Das ações destacadas, Bolsonaro comentou o fim do uso de livros didáticos considerados por ele “péssimos” e uma “vergonha”. O ministro assegurou que a pasta deu uma “boa limpada” no material oferecido nas escolas. “Já saiu muita porcaria, mas ainda vai (sair) alguns (livros) que a gente não gosta”, disse Weintraub.

https://noticias.r7.com/educacao/sai-o-kit-gay-e-entra-a-leitura-em-familia-diz-ministro-da-educacao-07012020?fbclid=IwAR3XkP0EcER0FIJzQSK2DVChQ5b6f9TpwLyTaagOH4N25Pm_gDPmA2roOAo

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *