Rússia cria primeiro fuzil de precisão do mundo com alcance de 7 quilômetros

A ideia é torná-lo a arma de maior longo alcance das forças especiais do mundo, com o uso de balas hipersônicas. Servirá a todos os ramos das Forças Armadas.

A poucas horas de carro de Moscou, fica a pequena cidade de Tarusa, onde um predinho de um andar exibe uma placa com a inscrição Lobaev Arms. À primeira vista, parece um edifício comum, mas atrás de suas portas está uma fábrica que produz alguns dos mais poderosos fuzis de precisão do mundo.

Ali, no início de junho de 2020, começou a produção do primeiro fuzil de precisão do mundo capaz de atingir alvos a uma distância de 6 a 7 km (o recorde atual de 4.217 km também pertence à empresa Lobaev Arms, com seu fuzil SVLK-14 Sumrak). O novo desenvolvimento, designado DXL-5, será a única arma que permitirá a agentes destruir um inimigo além da linha do horizonte do atirador em pé.

O desenvolvedor, Vlad Lobaev, explica que, do ponte de vantagem de uma colina ou do segundo ou terceiro andar de um prédio de apartamentos (uma elevação de aproximada de 10 metros), o campo de visão é superior a 11 km. Quanto mais alto o ponto de vista, mais distante a linha do horizonte.

O que se sabe sobre o DXL-5

O DXL-5 é uma versão ideológico e tecnologicamente avançada do fuzil SVLK-14S, que foi apelidado de Sumrak (Crepúsculo) devido a seu poder macabro.

“O Sumrak é feito sob medida, como uma Ferrari ou Porsche, para conhecedores de armas de alta precisão e atiradores profissionais que competem em longa distância”, disse à Russia Beyond Iúri Sinitchkin, engenheiro-chefe da Lobaev Arms.SVLK-14S Sumrak

SVLK-14S SumrakLobaev Arms

O Sumrak foi construído para cartuchos .408 CheyTac (10.3×77 mm), que saem do cano a uma velocidade superior a 900 m/s. Além disso, um novo tipo de munição com carga de pó está sendo desenvolvido para o DXL-5, que permitirá que a bala voe a cinco ou mais vezes a velocidade do som (superior a 1.500 m/s).

Segundo os especialistas, isso é necessário porque uma bala voando a 900 m/s chega ao alvo após oito segundos, dando ao inimigo tempo para escapar; para tanto, o novo fuzil de alta precisão precisa de munição que voe a não menos de 1,5 km/s.

“Tal projétil pode perfurar metal com 3 cm de espessura. Imagine o que aconteceria se atingisse um ser humano? Nenhuma proteção ajudaria”, destacou o engenheiro.

O futuro cartucho destina-se a destruir inimigos usando uma armadura de proteção de sexta classe (a mais resistente). Essa armadura pode ser furada apenas por um fuzil antitanque da Segunda Guerra (como o antitanque semiautomático Simonov de 14,5 mm) ou algo semelhante em termos de potência – mas não de alcance ou precisão.

O DXL-5 que deve quebrar o recorde mundial está sendo desenvolvido como item de colecionador único, semelhante a um carro de luxo. O modelo padrão também operará a distâncias mais longas, de aproximadamente 5 km.

“O treinamento de agentes para matar terroristas a uma distância de 2-2,5 km exigirá pelo menos 2 a 3 anos. Nosso rifle transformará a eliminação de longo alcance de inimigos em uma tarefa rotineira e a simplificará ao extremo. Esse era realmente o objetivo: tornar operações profissionais mais eficientes e fáceis”, completou Lobaev.

Devido ao lockdown imposto pela covid-19, os testes de fábrica do novo DXL-5 estão sendo transferidos do outono para o inverno de 2020. Assim que o novo rifle provar eficácia e capacidade técnica, uma comissão especial será convidada para os ensaios.

Os desenvolvimentos da Lobaev Arms não são classificados como ultrassecretos e, ao contrário do AK-12, esses fuzis podem ser adquiridos individualmente e colocados em serviço com qualquer unidade. A aparência da versão militar do DXL-5 e o custo a compradores estrangeiros só serão divulgados ao público no início de 2021.

LEIA TAMBÉM: Como identificar um Kalashnikov originalmente fabricado na Rússia de um falso

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

https://br.rbth.com/ciencia/84061-russia-primeiro-fuzil-alcance-7-km?fbclid=IwAR0BL8SUV17Iyjz8CkmKOMrrzys5XNIDTNtZVBjgyl67KN09CKWmNZYwkdc

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *