Preso pela Lava Jato era integrante do governo Wilson Witzel

Funcionário foi demitido após o governo do Rio “tomar conhecimento da prisão temporária”.

A força-tarefa da operação “Lava Jato” no Rio de Janeiro denunciou 15 investigados, inclusive Astério Pereira dos Santos, ex-secretário Nacional de Justiça do governo Michel Temer, por esquema de propinas a conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ).

Entre os oito presos preventivamente na “Operação Titereiro”, que é braço da Lava Jato, estava um integrante do governo Wilson Witzel(PSC). 

Thiago de Bustamante Fontoura aparece lotado na Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) no cargo de Ajudante l, informa reportagem da revista Veja.

Ele foi exonerado do cargo, nesta sexta-feira (6), um dia depois da operação da força-tarefa. A publicação saiu no Diário Oficial.

Em nota à imprensa, a Seap explicou:

“Ao tomar conhecimento da prisão temporária do funcionário Thiago Bustamante Fontoura, responsável pelas produções audiovisuais da secretaria, nesta quinta-feira (05/03), enviou o Ato de Exoneração para publicação.”

Ao todo, o juiz Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Criminal Federal do Rio, mandou prender seis denunciados preventivamente e mais três em regime temporário, entre eles Bustamante Fontoura.

A denúncia diz que o grupo “faz parte da organização criminosa comandada pelo ex-governador Sérgio Cabral”, destaca a revista IstoÉ.

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *