Para Santos Cruz, corrupção com dinheiro da pandemia deveria ser crime hediondo

Da Redação do Blog — Comentando os casos de corrupção em contratos da pandemia nos estados e municípios, o General Santos Cruz foi enfático: “a corrupção com dinheiro de combate à uma doença que afeta milhões de pessoas, não pode ser tolerado. Possíveis crimes deveriam ser julgados com  mais velocidade e penalizados com mais rigor”, disse. A afirmação foi feita durante a live para o blog, nesta quinta-feira (23).

Segundo o ex-ministro ex-ministro da Secretaria de Governo da Presidência, o Governo Federal fez o certo ao distribuir recursos aos Estados para o combate à pandemia. No entanto, ele não poupou a gestão de Jair Bolsonaro de críticas: “O governo não coordenou, nem centralizou a compra de equipamentos”.

Para ele, a falta de centralização e fiscalização pode ter facilitado desvios nas gestões de prefeitos e governadores: “Quando ele mandou dinheiro para estados e municípios, dezenas de órgão começaram a comprar equipamentos, e algumas de empresas que não tinham capacidade de fornecer o material”.

Além disso, o caráter emergencial das contratações piorou a situação: “devido à urgência requerida para o combate de uma pandemia, os contratos foram feitos sem licitação, e parece que realmente tem casos de corrupção, que precisam ser investigados”.

Por isso, ele ressalta que os órgãos de controle precisam atuar na fiscalização e punição dos eventuais malfeitos: “corrupção com dinheiro de pandemia deveria ser agravante. Não só na pena deveria ser mais rígida, mas também a execução penal”, concluiu.

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *