Maduro detém equipe de jornalistas que filmou homens comendo lixo na Venezuela

Vídeo foi gravado em Caracas por Jorge Ramos, um dos jornalistas de língua espanhola mais respeitados dos EUA. Equipamento foi confiscado e jornalistas, deportados.

26/02/2019

Na Venezuela de Nicolás Maduro, a detenção e até o sequestro de jornalistas são frequentes. Nas últimas 24 horas, houve mais dois casos.

Foram essas imagens que enfureceram Nicolás Maduro e o levaram a deter jornalistas de uma TV americana: três jovens reviram um caminhão de lixo em busca de restos de comida. O rapaz diz: “Estamos com fome”. O homem se revolta, diz que é pai de família e faz isso todos os dias para conseguir comer. “É preciso trocar o presidente, não podemos viver assim”, diz ele.

O vídeo foi gravado em Caracas por Jorge Ramos, um dos jornalistas de língua espanhola mais respeitados dos Estados Unidos. Segundo o repórter, quando ele mostrou as imagens, Maduro se levantou e interrompeu a entrevista.

“Eu disse a ele: ‘Isso é o que ditadores fazem, não os democratas’”, contou Ramos, já no aeroporto.

Os seis jornalistas que faziam parte da equipe ficaram detidos no Palácio Miraflores por duas horas. Eles passaram a noite no hotel e foram deportados e desembarcaram em Miami na tarde desta terça-feira (26).

Câmeras, vídeos e até os celulares deles foram confiscados. A produtora Ana Martinez contou que a equipe de Maduro apagou as luzes e que, no escuro, foi revistada.

O ministro das Comunicações da Venezuela, Jorge Rodriguez, disse que centenas de jornalistas foram bem recebidos no Palácio Miraflores, mas que o governo não se presta ao que chamou de show barato.

Representantes de 17 organizações que defendem a liberdade de imprensa assinaram um comunicado conjunto condenando a intimidação e a censura de Maduro.

Um jornalista da Telemundo – outro canal americano em espanhol – foi detido na manhã desta terça quando fotografava a deportação da equipe de Jorge Ramos. Num comunicado, o canal disse que ele foi sequestrado e interrogado por seis horas, até ser liberado por homens que não se identificaram.

Na segunda-feira (25), Maduro também deu entrevista para a rede americana ABC. Acusou os Estados Unidos de fabricarem uma crise para se apropriar do petróleo da Venezuela, mas afirmou que gostaria de dialogar com o presidente Donald Trump.

Em Nova York, o Conselho de Segurança das Nações Unidas se reuniu para discutir a crise na Venezuela. Estados Unidos, União Europeia e vários países ocidentais como o Brasil reconhecem o poder de Juan Guaidó. Mas a China e a Rússia, que têm poder de veto, apoiam Nicolás Maduro.

O representante americano pediu que mais países apliquem sanções econômicas contra o governo venezuelano e recusou a oferta de diálogo. “Perguntem a Jorge Ramos, da Univision, sobre o valor do diálogo com Nicolás Maduro”, falou ele.

https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2019/02/26/maduro-detem-equipe-de-jornalistas-que-filmou-homens-comendo-lixo-na-venezuela.ghtml?fbclid=IwAR3u_Epvzh0crwb1fq7d_o9ZWKQR4iesnPyrvE_PnKFXT-ZT1G_BH5Rw8b0

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RSS
Follow by Email
YouTube
YouTube
LinkedIn
LinkedIn
Share
Instagram