GCM fecha fábrica clandestina de álcool gel que funcionava dentro de casa em Aparecida de Goiânia (GO)

No mesmo local, também eram produzidos cosméticos, como shampoo e creme. Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o caso.
Guarda Civil fecha fábrica clandestina de álcool gel que funcionava dentro de casa em Aparecida de Goiânia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
A Guarda Civil Metropolitana fechou uma fábrica de álcool gel que funcionava dentro de uma casa em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar o caso. Na casa, os guardas ainda apreenderam milhares de embalagens e constataram que também eram fabricados cosméticos, como shampoos e cremes.
O caso aconteceu na tarde de terça-feira (12). Segundo o comandante da GCM de Aparecida de Goiânia, Weber Júnior, uma equipe estava em deslocamento quando se deparou com dois homens, que, ao verem os guardas, entraram correndo para dentro de uma casa.
“Eles correram para dentro da casa e trancaram o portão. A viatura suspeitou, aguardou um momento e, quando eles saíram da casa, foi feita a abordagem e se constatou que se tratava de uma empresa clandestina de produto de cosmético, aparentemente falsificados. Um local bem insalubre”, disse.
Após entrar na casa, a Guarda Civil acionou a Vigilância Sanitária. Por sua vez, os fiscais acionaram a Delegacia do Consumidor.
Produtos apreendidos
Segundo o comandante, no local havia dois tambores com ácido usado na fabricação dos produtos. “A gente observou que tem muito produto que não condiz com as condições humanas, coisas bastante insalubres, paredes com mofo, comida misturada com produtos, produto aberto, então, observa-se que estava colocando em risco a saúde da população”, disse.
De acordo com a GCM, a Vigilância Sanitária ainda calculava, até a publicação desta reportagem, o total de itens apreendidos.
Segundo o delegado Frederico Maciel, da Delegacia do Consumidor, foi instaurado um inquérito policial para apurar os fatos. Além dos dois homens que trabalhavam no local, o proprietário da casa também poderá ser intimado para prestar depoimento. “Aguardo documentos da Vigilância Sanitária para instruir o procedimento”, disse o delegado.

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RSS
Follow by Email
YouTube
YouTube
LinkedIn
LinkedIn
Share
Instagram