EUA acusa a OMS de ser fantoche da China e oficializa a sua saída da organização

Por WillFilho

Os Estados Unidos deixarão a Organização Mundial da Saúde em 6 de julho de 2021, disseram as Nações Unidas nesta terça-feira depois de receber uma notificação formal da decisão do presidente Donald Trump há mais de um mês.

Após mais de 70 anos de filiação, os Estados Unidos se organizam para deixar a OMS depois que Trump acusou a entidade de ter se tornado um fantoche da China em meio à pandemia de coronavírus. O vírus surgiu pela primeira vez na cidade chinesa de Wuhan no final do ano passado.

“O Secretário-Geral… está em processo de verificar com a Organização Mundial de Saúde se todas as condições para essa retirada foram cumpridas”, disse o porta-voz da ONU Stephane Dujarric.

Trump suspendeu o financiamento para a organização de 194 membros em abril, e em uma carta de 18 de maio deu à OMS 30 dias para se comprometer com as reformas. Ele anunciou que os Estados Unidos sairiam menos de duas semanas depois.

A OMS é um organismo internacional independente que trabalha com as Nações Unidas. O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse que a OMS é “absolutamente crítica aos esforços do mundo para vencer a guerra contra o COVID-19”.

Desde que assumiu o cargo, Trump deixou o Conselho de Direitos Humanos da ONU, a agência cultural da ONU, um acordo global para combater as mudanças climáticas e o acordo nuclear com o Irã. Ele também cortou o financiamento do fundo populacional da ONU e da agência da ONU que ajuda refugiados palestinos. Com informações: Reuters.

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *