Em nome das “medidas preventivas de distanciamento” a OMS sacrifica as crianças dos países pobres

Há ainda outro dado extremamente chocante nessa decisão precipitada de confinar todo o mundo em casa.

No dia 26 de março a OMS recomendou “suspender temporariamente a realização de campanhas de vacinação em massa devido ao aumento do risco de promover a circulação [de pessoas] na comunidade”
No dia 26 de março, a Organização Mundial da Saúde publicou um documento intitulado “Princípios diretores para as atividades de imunização durante a pandemia da Covid-19”, no qual se afirma que, em vista das medidas preventivas de distanciamento físico, “recomenda-se suspender temporariamente a realização de campanhas de vacinação em massa, devido ao aumento do risco de promover a circulação [de pessoas] na comunidade”.38

Seguindo essa recomendação, a Iniciativa Global para a Erradicação da Pólio suspendeu sua campanha de vacinação, apesar de seus assessores científicos calcularem que isso aumentará o número de paralisias em crianças, e que alguns países livres dessa doença infecciosa voltarão a se contagiar. E a pólio é apenas uma das tantas vacinações que foram suspensas na África, segundo o jornal madrilense El País: “A jornalista Leslie Roberts documenta em Science que milhões de crianças já se viram privadas de suas vacinas de pólio, sarampo, papiloma, febre amarela, cólera e meningites. Fala-se em 14 milhões, mas é uma estimativa baixa, certamente muito baixa”.39

Segundo o Centro de Controle de Doenças de Atlanta, 23 países já suspenderam suas campanhas contra o sarampo e mais 16 estão pensando em fazê-lo, apesar de ele matar 3% a 6% dos infectados (muitas vezes mais que o coronavírus) e de a maioria de suas vítimas serem crianças malnutridas.

Naquilo que o jornal espanhol apelida “dilema do diabo”, as autoridades da maioria dos países ricos escolheram, volens nolens,poupar as potenciais vítimas da Covid-19 (talvez por constituírem a maioria dos eleitores), sacrificando as crianças dos países pobres, que vão morrer ou ficar inválidas por causa dessa orientação irresponsável da OMS.40

Concorda conosco o leitor, à vista desses dados, que o mundo contemporâneo – graças à irresponsabilidade da OMS, de seus líderes políticos e de sua mídia, que criaram o pânico – está se suicidando por medo de morrer de Covid-19? Isso é tão óbvio, que uma pergunta surge espontaneamente: Quem se beneficia com esse suicídio coletivo da nossa sociedade contemporânea?

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *