De pai para filhas: conheça a história das gêmeas bombeiras de Jundiaí

Todo mundo tem na vida um super-herói, não é mesmo? E o das irmãs Daniela e Gabriela é o sargento Lucas.Por Mateus Storti

Todo mundo tem na vida um super-herói, não é mesmo? 😊 E eu digo super-herói do dia a dia, de carne e osso, não o dos quadrinhos, não! Quem não tem uma mãe super-heroína, um pai super-herói, um esposo ou esposa com super-poderes? 🦸‍♀️🦸‍♂️

Ó, e não sei você, mas a maioria das pessoas também tem os bombeiros como super-heróis! Siim, homens e mulheres que arriscam suas vidas 24 horas por dia para servir, cuidar e salvar quem quer que esteja em perigo. 🥰

E, atrás de cada herói e heroína de farda, há também uma história incrível de vida! E, a história que vamos contar agora é a das gêmeas Daniela Gabriela que, inspiradas pelo pai, escolherem seguir essa super-profissão! 🦸‍♀️

Inspiração desde criança

O contato da Soldado Daniela Costa Bezerra, de 26 anos, com o Corpo de Bombeiros começou cedo. Ela conta que o pai, o também bombeiro, Sargento Lucas Sanches Bezerra, sempre levou ela e a irmã para nadarem no quartel e nas festas da corporação, mas foi só na adolescência que decidiram que queriam seguir os mesmos passos dele.

“Minhas maiores inspirações são os meus pais, que me deram base para conquistar tudo que venho conquistando. Meu pai sempre amou o que fazia, admirava muito ver a evolução dele na carreira e ver como ele se empenhava em qualquer lugar que ele estivesse trabalhando. Sempre foi muito dedicado.”

Não apenas a inspiração, mas o incentivo veio desde criança. (Foto: Arquivo Pessoal/ Reprodução)

Logo que terminam o Ensino Médio, Daniela optou por entrar para a Polícia Militar, enquanto que sua irmã entrou no ano seguinte. Depois de formada, ficou por aproximadamente um ano no policiamento da Capital, e em 2016 fez o tão sonhado curso na Escola Superior de Bombeiros. 👩‍🚒 “Me formei e trabalhei também um ano na cidade de Osasco, para depois pedir minha transferência para a cidade de Jundiaí”, relembra.

Ser bombeira…

Atualmente, as irmãs trabalham juntas no 19º Grupamento de Bombeiros, e estão lá, sempre se incentivando apoiando. 🥰 “Nossa relação é muito boa, somos melhores amigas! Amamos trabalhar juntas e sempre foi muito bom, nunca tivemos problemas. Somos muito unidas e nos ajudamos muito.”

Em um evento em SP do Corpo de Bombeiros, as irmãs refizeram a foto com o pai de quando tinham apenas 12 anos! Ah, e só pra constar: a Daniela é a da esquerda. 😉 (Foto: Arquivo Pessoal/ Reprodução)

Mesmo as mulheres sendo minoria na profissão, Daniela conta que nunca sofreu discriminação ou qualquer tipo de problema envolvendo discriminação. “Me sinto muito realizada por estar nessa profissão. Hoje tem muitas mulheres entrando na Polícia Militar e consequentemente no Corpo de Bombeiros. Tudo depende muito da nossa postura, quem trabalha comigo sabe que eu não gosto de ser tratada diferente e muito menos ter algum privilégio.”

Eu passei pelo mesmo treinamento que todos os homens que eu trabalho passaram. É claro que alguns tem mais experiência, mais cursos de especialização, porém capacidade todos nós temos de exercer a função de bombeiro. Amo o que eu faço e fico muito feliz quando vejo uma mulher trabalhando numa área operacional.

Daniela e sua equipe, quando ainda trabalhava em Osasco. (Foto: Arquivo Pessoal/ Reprodução)

Histórias que não acabam mais

E ó, no dia a dia do bombeiro não é só apagar incêndio não, viu? 😅 A soldado afirma que são inúmeras as ocorrências diárias que atendem, mas tem uma em especial que mexeu com ela de uma forma impactante… “Foi uma ocorrência em que auxiliamos um parto dentro da nossa Unidade de Resgate. Sabe, foi muito emocionante, ver a vida no momento em que ela é concebida! Foi sensacional! Nunca esquecerei esse dia“, conta entusiasmada.

E claro, tem aquelas situações que nem eles esperam passar, né? Por exemplo, são as ocorrências envolvendo animais. A mais engraçada que a Daniela viveu foi quando ela e sua equipe tiveram que capturar dois saguis que estavam em um apartamento no 7º andar. Acredita? 🐒 “Como eles subiram até hoje eu não sei! Foi engraçado porque eles são muito ágeis, deu trabalho, mas no final deu tudo certo.”

Ela comenta também que até boi dentro de piscina já teve que resgatar. 😅 “Mas é muito bom também conseguir aliviar o estresse desses animais nas ocorrências.” E, acho, que não apenas aliviar o dos animais, mas o dos próprios bombeiros também, né? 😂😊

Gosto muito de onde eu trabalho, somos uma família, treinamos juntos e sempre nos preparamos para a diversidade de ocorrências que atendemos diariamente.


Que legal, né? E como é bom saber que eles estão aí também para nos inspirar. 🥰 Todo nosso reconhecimentoadmiração e gratidão a vocês, bombeiras e bombeiros! 👩‍🚒💜👨‍🚒


Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário no campo abaixo! E se você conhece alguma história bacana da sua cidade e quer que ela seja  contada aqui, entre em contato pelo e-mail: sugestao.pauta@solutudo.com.br

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *