China pode vir a enfrentar praga bíblica de proporções sem precedentes na atualidade

A China encara o risco de uma invasão de gafanhotos vindos da Índia e Paquistão, alertam autoridades do gigante asiático.

De acordo com a Administração Estatal de Florestas e Pastos da China, a possibilidade continua “relativamente pequena” e o risco para os ecossistemas chineses é pequeno. Contudo, os gafanhotos do deserto causarão um problema se a praga persistir nos países vizinhos, revela a publicação Newsweek.

Existem vários pontos de entrada para a vinda da espécie para a China, incluindo o Tibete, que compartilha uma larga fronteira com a China. Outras rotas incluem províncias do

sudoeste da China.

Se as condições não melhorarem, também há o receio de que o inseto possa alcançar o país no segundo semestre de 2019 do Paquistão, que está enfrentando uma das crises mais sérias dos últimos anos.

“Nosso atual sistema de prevenção e tratamento é capaz de controlar a possível invasão à China”, comentou Zhang Zehua, pesquisador do Instituto de Proteção de Plantas da Academia de Ciências Agrícolas da China, segundo o jornal China Daily.

Em resposta à ameaça, a Administração Estatal de Florestas e Pastos chinês publicou comunicados aos departamentos regionais, solicitando a introdução de estações de monitoramento nas possíveis rotas de migrações. Desta forma, o movimento dos insetos pode ser rastreado em tempo real.

Autoridades acrescentaram que enviaram “um considerável pacote de ajuda emergencial” ao Paquistão para combater a praga, relata a agência Xinhua.

Um comunicado da ONU considera que “ainda que [a praga] seja tão antiga quanto esse flagelo, hoje sua escala é sem precedentes em tempos modernos“.

https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2020030215283481-china-pode-vir-a-enfrentar-praga-biblica-de-proporcoes-sem-precedentes-na-atualidade/?fbclid=IwAR2v3T3KGN-WnU6unFbHYoXM3U3KO0sVlx-M8qhoOQTen1A6Rps88RTd4QM

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *