“Central Única da Corrupção” se une para evitar a CPI da Lava Toga, diz jurista

“Queremos impeachment de quem merece ser afastado e CPI para investigar o que precisa ser investigado

Por: Will R. Filho

Após a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) anunciar que uma articulaçãoContinua depois da publicidade envolvendo parlamentares de diferentes instâncias (estadual e federal) já havia conseguido número o necessário de assinaturas para instalar a CPI da Lava Toga, nesta segunda-feira (9) surgiu a denúncia de que outra articulação, dessa vez contrária a CPI, conseguiu enfraquecer essa iniciativa.

O professor Modesto Carvalhosa, que ensinou Direito na Universidade de São Paulo (USP) e hoje está aposentado, mas atuando no combate à corrupção em articulação com outros juristas, como a própria Janaína, comentou sobre a mobilização contra a CPI da Java Toga, chamando

de “Central Única da Corrupção”.

“É preciso denunciar e combater os inimigos da nação, estejam onde estiverem – na política, no empresariado ou no jornalismo. O Brasil não pertence aos ratos que dele se apossaram”, escreveu Carvalhosa em suas redes sociais. O jurista fez uma comparação entre a Operação Mãos Limpas, da Itália, e a Lava Jato, para ilustrar como determinados setores da política se mobilizam para minar a operação.

“Já dissemos aqui, e todos sabem, que a Operação Mãos Limpas foi perdendo a sua força na Itália depois de colocar na cadeia muito mais corruptos do que a Lava Jato corajosa e meritoriamente até agora conseguiu prender. O mesmo pode acontecer no Brasil se não permanecermos unidos e atentos contra as manobras da Central Única da Corrupção”, destacou o jurista.

“Reformas previdenciária e tributária são fundamentais, mas nenhuma delas produz efeitos duradouros nem edifica uma verdadeira Nação se larápios continuam impunes e refestelando-se no Poder”, acrescentou. 

Ocultação de informações

O contexto das declarações de Carvalhosa e Janaína Paschoal se dá no momento em que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, decidiu não autorizar a divulgação de trechos da delação de Léo Pinheiro, que, supostamente, envolvem o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.

“Janaína Paschoal e o MP Pró-Sociedade foram obrigados a pedir à PGR as cópias para instruir o impeachment que movem contra o Presidente do STF. Porque, vergonhosamente, os trechos da delação de Léo Pinheiro envolvendo Rodrigo Maia e Toffoli foram arquivados por Raquel Dodge”, destacou Carvalhosa.

“Por outro lado, muitas partes da arrasadora delação de Antonio Palocci já vieram à tona, sem que a grande imprensa ou a grande mídia divulgasse”, completou. Com base nisso, Janaína foi taxativa: 

“Queremos impeachment de quem merece ser afastado e CPI para investigar o que precisa ser investigado. Acham que financiamento público resolve? Acham que resolve financiamento privado? Não importa! Todos os modelos são burlados! Só resolve prender quem precisa ser preso!”, disse ela.

https://www.opiniaocritica.com.br/noticia/633/qcentral-unica-da-corrupcaoq-se-une-para-evitar-a-cpi-da-lava-toga-diz-jurista?fbclid=IwAR3ehFZzwiqbFMkjyuZLAEqVzHYDkW4Yxotq0pK8OMihd7kdQALmYgYNje4

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *