20 profissões em alta

Elisângela Dias
Gestora de Recursos Humanos

O mercado de trabalho está sempre em constante evolução: criação de novos tipos de empregos, aumento na procura de alguns e decrescimento de outros.

Se está pensando em qual curso vai fazer ou mesmo em mudar de ramo, abaixo listamos novas e velhas profissões com salários médios e os motivos de alta, segundo os profissionais de recrutamento do país.

Algumas profissões se mantém em alta há alguns anos e sua tendência é se manterem assim por muito mais tempo.

1. Consultor de Diversidade

Tendo como base o respeito à individualidade, a profissão de Consultor de Diversidade, tem por objetivo promover a inclusão da pluralidade de gênero, credo, raça, faixa etária nas organizações. Também fazem parte do seu alvo as pessoas com deficiência, tornando esta profissão um dos principais pilares da promoção da justiça social no Brasil.

Quando a empresa possui uma política de diversidade como parte da sua cultura organizacional, melhora o seu relacionamento com o público.

Formação: a profissão de Consultor de Diversidade é uma função que pode ser executada por profissionais de diversas formações (Recursos Humanos, Psicologia, Sociologia, etc).

Função: promover a diversidade dentro da empresa permitindo que todas as camadas da população estejam representadas no quadro de funcionários.

Por que está em alta: as políticas públicas implementadas nos últimos anos para promoverem a inclusão social de minorias afetaram de forma irreversível a nossa sociedade.

Onde encontrar formação específica: a Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (ABERJE) oferece este curso.

Salário Médio: R$4 mil.

2. Gerente de Facilities

O Gerente de Facilities é o responsável por cuidar da gestão de todos os serviços terceirizados de uma organização, deixando livre os outros gestores para cuidar do core business.

Formação: Economia, Engenharia ou Administração de Empresas.

Função: fazer a gestão de contratos, relacionamento com fornecedores e o estabelecimento de indicadores precisos de performance são algumas das funções exercidas por este profissional.

Por que está em alta: esta profissão ganha cada vez mais destaque no mercado, onde a terceirização dos serviços não essenciais torna-se crucial para aumentar a eficiência e o desempenho das empresas.

Onde encontrar formação específica: SENAC, AEA Educação Continuada e ABRAFAC Associação Brasileira de Facilities.

Salário médio: R$15 mil.

3. Gestor de Inovação

A partir de uma visão transversal da empresa, o Gestor de Inovação é aquele profissional que usa a criatividade para concretizar novas ideias, alinhadas ao propósito da organização. Além da criatividade, este profissional precisa conhecer muito a respeito da gestão de pessoas, para ser capaz de liderar equipes e reconhecer talentos.

Formação: Administração de Empresas, Marketing,Tecnologia da Informação, podendo ser originário também de outras áreas.

Função: possui a responsabilidade de desbloquear o ambiente corporativo, de forma que as ideias possam fluir livremente.

Por que está em alta: a profissão tende a ganhar muita importância, conforme a competitividade das empresas aumenta.

Onde encontrar formação específica: a FGV oferece cursos com durações variadas no tema.

Salário médio: R$9 mil.

4. Instalador de Energia Solar

Com a crescente preocupação com o meio ambiente, a energia solar fotovoltaica desponta como a melhor alternativa para a energia elétrica.

Formação: Curso Técnico em Instalação de Painéis Solares.

Função: o profissional é responsável pela parte física de um projeto de placas solares, desde a instalação da estrutura de sustentação até a adequação da parte elétrica.

Por que está em alta: desde a resolução normativa 482 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) publicada em 2012, que o número de escolas técnicas que oferecem a formação tem aumentado.

Onde encontrar formação específica: Escola de extensão da UNICAMP, Portal Solar, BlueSol Educacional, ElektSolar Innovations.

Salário médio: R$3 mil. Pode variar em função da região e do tempo de experiência.

5. Consultor de Aposentadoria

A discussão sobre os caminhos para a reforma da previdência tem se intensificado, desde que os primeiros sinais do envelhecimento da população brasileira se tornaram evidentes. Este profissional é responsável por apoiar o indivíduo no planejamento e programação de sua aposentadoria.

Formação: Economia, Direito, Contabilidade, Administração de Empresas.

Função: analisar e avaliar as melhores opções de aposentadoria de acordo com o perfil do cliente. Este profissional deve ser capaz de simular e indicar como deve ser a contribuição de acordo com a expectativa de recebimento.

Por que está em alta: por causa das mudanças na Previdência, muitos estão à procura de esclarecimentos a respeito do assunto.

Onde encontrar formação específica: IEPREV – Instituto de Estudos Previdenciários, FGV.

Salário médio: R$3 mil.

6. Agroecologista

Definida como uma prática agrícola baseada na utilização de recursos naturais, a agroecologia possui seu alicerce na agricultura familiar, permanecendo como a maior fornecedora de produtos orgânicos do mercado.

Linhas de crédito especiais para incentivar a produção com enfoque agroecológico foram criadas e, além disso, os agroecologistas também contam com apoio na comercialização dos seus produtos pelo governo.

O mercado de trabalho inclui os pequenos produtores familiares e cooperativas.

Formação: Tecnólogo em Agroecologia.

Função: o profissional é responsável pelo planejamento, instalação e manutenção de sistemas de produção agropecuária com ênfase em práticas não agressivas ao meio ambiente.

Por que está em alta: desde 2012, algumas políticas foram definidas pelo governo brasileiro como forma de incentivo.

Onde encontrar formação específica: a Central Pronatec oferece um curso técnico na área. A WR Educacional oferece um curso livre. O site Aprendizado Digital oferece uma formação online na área.

Salário médio: R$3 mil.

7. Especialista em Segurança Digital (Hacker do Bem)

A possibilidade de ataques virtuais realizados por hackers, podem trazer prejuízos incalculáveis para uma organização. Dentro deste contexto, surgem os profissionais especializados em criar barreiras digitais.

Formação: Tecnólogo em Segurança da Informação.

Função: manutenção dos sistemas de segurança de ambientes digitais.

Por que está em alta: com o avanço constante das tecnologias, a cada dia que passa torna-se imperativo que as empresas façam investimentos no ramo da segurança digital.

Onde encontrar formação específica: A INFNET oferece um MBA no assunto.

Salário médio: R$6 mil.

8. Constelador Familiar

Criada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, a técnica de caráter terapêutico visa tornar o indivíduo consciente de padrões criadores de conflitos dentro de um sistema familiar.

Esta técnica também vem sendo utilizada também em empresas. Neste caso é conhecida como Constelação Organizacional. Além disso, juízes e advogados também têm feito uso da técnica para resolução de conflitos de ordem jurídica.

Formação: a profissão ainda não está regulamentada, tornando possível que qualquer pessoa de qualquer área de formação possa se tornar um Constelador.

Função: harmonizar conflitos de sistemas familiares ou organizacionais.

Por que está em alta: a profissão de Constelador vem ganhando espaço no Brasil desde que o Ministério da Saúde incluiu a metodologia na lista de práticas integrativas oferecidas pelo SUS (Sistema Único de Saúde), em Março de 2018.

Onde encontrar formação específica: Bert Hellinger, o criador da metodologia das Constelações, não faz exigências em termos de formação para se tornar um constelador. Procure por pessoas formadas pela Hellinger Sciencia. Evite as formações à distância, o desenvolvimento da técnica é essencialmente presencial.

Já existem instituições que oferecem cursos de pós-graduação a USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul) e CEFATEF(Centro de Formação e Estudos Terapêuticos da Família).

Salário médio: o valor médio de cada sessão de Constelações varia de R$300 reais a R$600 reais.

9. Gestão de Pessoas

Apesar das mudanças que ocorrem a cada minuto por causa dos avanços da tecnologia, a necessidade da presença de pessoas permanece. Diante dessas perspectivas, novos postos de trabalho devem surgir e novas habilidades serão necessárias.

Este profissional deverá possuir uma boa capacidade de liderança aliada ao conhecimento das novas tecnologias. Alinhar as estratégias de desenvolvimento humano aos objetivos das organizações será o grande diferencial no futuro.

Formação: Tecnólogo em Gestão de RH, Curso Superior em Gestão de Pessoas e Psicologia.

Função: alinhar os objetivos da organização com os dos colaboradores através do desenvolvimento de suas competências.

Por que está em alta: independente do que o futuro nos reserva em termos de mudança, o profissional especializado em Gestão de Pessoas continuará a ser valorizado. Conforme algumas profissões forem substituídas por inteligência artificial e robótica, maior se tornará a importância de competências como gestão emocional e comportamental.

Onde encontrar formação específica: FGV (Fundação Getúlio Vargas), UNIP (Universidade Paulista), UFF (Universidade Federal Fluminense) são algumas das instituições que oferecem especialização em Gestão de Pessoas.

Salário médio: R$10 mil.

10. Profissional de Big Data

Atualmente, por causa de suas interações na internet, a quantidade de dados gerados por um indivíduo é incalculável. Para muitas empresas, o cruzamento de diversas fontes de dados diferentes possui um valor inestimável. Em alguns casos, pode ser tornar um grande diferencial num mercado competitivo.

Devido a este cenário, surge a necessidade de um novo profissional, especializado no tratamento de um volume enorme de dados. Faz parte de sua rotina a captura, análise e a transformação destes dados em informações úteis e lucrativas para as organizações.

Formação: Matemática, Tecnologia da Informação ou Estatística. Além do conhecimento científico inerente da formação, possuir conhecimento mercadológicos pode se tornar um diferencial.

Função: tratar volumes imensos de dados de fontes diferentes, gerando informação relevantes do ponto de vista da organização

Por que está em alta: o aumento exponencial dos dados envolvidos nas operações das empresas e a necessidade de gerar valor a partir deles.

Onde encontrar formação específica: a INFNET oferece uma formação na área. A ESPM e a UNYLEYA oferecem o curso como uma pós-graduação.

Salário médio: R$12 mil.

11. Biotecnólogo

Atualmente a biotecnologia possui muitas ramificações em várias áreas, de tal forma que é possível afirmar que a sociedade moderna depende fortemente desta disciplina. Países como os EUA e a China investem muito na área.

O profissional de biotecnologia pode atuar, por exemplo, na indústria de papel trazendo inovações na produção de celulose. Além disso, esse profissional pode atuar na indústria de biofármacos como também na engenharia de tecidos.

Formação: graduação em Ciências Biológicas.

Função: aplicar conhecimentos químicos e biológicos na modificação genética para alcançar resultados.

Por que está em alta: para garantir a competitividade do Brasil no cenário mundial, o governo brasileiro tem se esforçado em manter um diálogo com as indústrias do setor e as universidades. A tendência é que a profissão aumente de importância nos próximos anos.

Onde encontrar formação específica: Faculdade Ciências da Vida – Sete Lagoas e Universidade Positivo (UP) – Curitiba.

Salário médio: R$4 mil.

12. Desenvolvedor de conteúdos didáticos para EAD (Educação à distância)

Com uma formação de base técnica, este profissional deve conhecer as tecnologias mais recentes para a produção de conteúdo digital: editores de textos, editores de imagens, editores de vídeo e de áudio. A adequação dos conteúdos para diferentes plataformas também é fundamental. Além disso, torna-se importante entender de diagramação e design.

Formação: o curso superior em Pedagogia pode ser um diferencial, não sendo obrigatório. Pessoas com formação de base diferentes podem também se especializar como desenvolvedores.

Função: criar ou adequar conteúdos para as plataformas digitais com fins didáticos.

Por que está em alta: com a tendência de crescimento da educação à distância, a demanda por profissionais especializados no desenvolvimento de material didático online tende a acompanhar este crescimento.

Onde encontrar formação específica: SENAC SP, Portal Educação e Associação Brasileira de Educação à Distância.

Salário médio: R$3 mil.

13. Consultor Financeiro

Este profissional pode contribuir para organizar as contas e indicar soluções para saída de dívidas. No contexto corporativo, ele pode dar apoio tributário, além de analisar o fluxo de caixa e o pagamento de salários.

Se você possui uma formação adequada, pode pensar em se lançar como Consultor Financeiro. Se o seu foco for o mercado corporativo talvez seja necessário obter uma especialização.

Formação: Economia, Ciências Contábeis e Administração.

Função: planejar, controlar e organizar as finanças de um indivíduo ou empresa.

Por que está em alta: com o país dando os primeiros sinais de recuperação da severa crise pela qual ainda passa, torna-se imperativo contar com o apoio de um Consultor Financeiro nestes momentos de incerteza.

Onde encontrar formação específica: Faculdade Brasileira de Tributação (FBT), Fundação Getúlio Vargas (FGV) e SENAC.

Salário médio: R$7 mil.

14. Engenheiro Sanitarista e Ambiental

O profissional pode atuar como consultor independente; prestar concurso público na esfera municipal, estadual ou federal; trabalhar para a iniciativa privada como as concessionárias de água e ainda pode optar pela via acadêmica e trabalhar com pesquisa.

Se você tem gosto pela área das ciências exatas e se importa com a questão do desenvolvimento sustentável, esta pode ser a carreira certa para você.

Formação: Engenharia Ambiental.

Função: realizar pesquisas e estudos a respeito das condições do meio-ambiente, que possam impactar o nível de saúde da população em geral. Além disso, este profissional pode atuar como consultor na elaboração de leis e regulamentos sanitários.

Por que está em alta: com o aumento da população mundial e os recursos do planeta limitados, cada vez mais este profissional será de suma importância.

Onde encontrar formação específica: Universidade Estácio de Sá, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Centro Universitário Internacional (UNINTER).

Salário médio: R$4 mil.

15. Tradutor

Dentro do contexto da intensificação das relações globais, o profissional de tradução tende a se manter valorizado nos próximos anos. Tradicionalmente atuando na tradução de livros, hoje este profissional tem o seu campo de ação ampliado, podendo atuar na tradução de jogos, sites, blogs e legendas de filmes.

A vivência internacional pode se tornar um diferencial. O profissional também pode atuar como intérprete de conferências. Neste caso, existem cursos profissionalizantes para este propósito.

Formação: a profissão de Tradutor ainda não é regulamentada e para exercê-la não é obrigatório ter graduação em Tradução e Intérprete ou Letras, será um diferencial.

Função: Seu campo de atuação pode compreender desde a tradução de livros, textos, manuais, bulas, sites, blogs.

Por que está em alta: em função da globalização a demanda por serviços de tradução tende a crescer.

Onde encontrar formação específica: Brasilis Idiomas e a Escola de Tradutores.

16. Desenvolvedor de Games

Crescendo numa velocidade acima da média, a demanda por profissionais capacitados para o desenvolvimento acompanha este crescimento.

Apesar do apelo inerente da área, iniciar uma carreira como desenvolvedor não é tão simples. Afinidade com tecnologia e formação na área de programação de computadores são apenas alguns dos requisitos necessários.

A formação universitária pode fazer uma grande diferença neste caso. Isso por causa da necessidade de conhecimentos multidisciplinares que a profissão pode exigir. Além da programação, o profissional precisa conhecer sobre edição de imagens, criação de personagens e cenários.

Formação: Tecnologia em Jogos Digitais.

Função: cuidar do desenvolvimento de jogos eletrônicos em suas diversas dimensões desde a programação, roteiro, cenários, personagens, etc.

Por que está em alta: a área de games torna-se cada vez mais transversal a diversas gerações. A popularização de dispositivos como celulares, tablets e consoles aumenta sensivelmente o público consumidor de games.

Onde encontrar formação específica: INFNET, Universidade Estácio de Sá (UNESA), Universidade Veiga de Almeida (UVA) e Universidade Paulista (UNIP).

Salário médio: R$8 mil.

17. Engenheiro de Produção

Sendo um dos ramos da engenharia mais amplos, a formação em Engenharia de Produção tem uma vertente híbrida, funcionando como uma ponte entre a engenharia clássica e disciplinas como economia e administração.

Formação: Engenharia de Produção.

Função: o Engenheiro de Produção possui seu foco no planejamento, projeto e gerência dos sistemas organizacionais que envolvem toda uma cadeia de produção: recursos humanos, materiais, tecnologia, recursos financeiros e também ambientais.

Por que está em alta: com os rápidos avanços tecnológicos do mundo moderno, a profissão tende a ser valorizada. Isso porque os ambientes que envolvem a produção de bens e serviços, são cada vez mais complexos.

Onde encontrar formação específica: Fundação Vanzolini, FGV e UNIP.

Salário médio: R$7 mil.

18. Tecnólogo em Logística

Além da parte técnica que inclui a gestão de estoque, também fazem parte da responsabilidade deste profissional questões como: documentação, tributação, atendimento ao cliente, adequação dos meios de transporte utilizados e tecnologias de preservação dos produtos.

Formação: Graduação em Tecnologia em Logística.

Função: Responsável por organizar o fluxo entre a chegada da matéria-prima na fábrica até a saída no setor de expedição e distribuição para os pontos de venda.

Por que está em alta: o mercado está em plena expansão e a logística é fundamental para a maioria das operações. Por isso, a expectativa é positiva para esta área.

Onde encontrar formação específica: FMU, SENAC, UNESA, UNIP, Anhaguera e UNINOVE

Salário médio: R$3 mil.

19. Tecnólogo em Energias Renováveis

A substituição de formas de geração de energia que causam impactos ambientais é o foco da atenção deste profissional. Dentro das várias ramificações que esta área oferece, destacamos a pesquisa por novos biocombustíveis cujo impacto seja mínimo para a natureza.

Formação: Tecnologia em Energias Renováveis.

Função: trabalhando ao lado do Engenheiro, o Tecnólogo em Energias Renováveis é responsável pela operação, manutenção e reparo de sistemas de energias renováveis. Além disso, este profissional deve conhecer e saber cumprir normas técnicas de segurança.

Por que está em alta: a crescente necessidade de geração de energia faz com que a profissão de Tecnólogo em Energias Renováveis fique em evidência. O mundo tem diante de si o desafio de continuar a geração da energia necessária, mas de forma sustentável.

Onde encontrar formação específica: Fundação Dom Cabral (FDC), SENAI SP, CEFET RJ e Instituto Federal da Bahia (IFBA).

Salário médio: R$4 mil.

20. Desenvolvedor de aplicativos mobile

O desenvolvedor de aplicativos mobile pode atuar como freelancer ou como membro de uma equipe de uma empresa.

Com a formação dentro da área de programação de computadores, o profissional desenvolvedor mobile deve dominar tecnologias como HTML, CSS, Javascript, Java, Dot Net entre outras.

Formação: Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Função: criar a melhor experiência possível em aplicativos dentro dos limites dos dispositivos móveis.

Por que está em alta: com o crescente mercado voltado para os aplicativos mobile, as três maiores plataformas (Android, IOS e Windows Phone) garantem manter a geração de postos de trabalho para este e os próximos anos.

Onde encontrar formação específica: INFNET, Impacta e FIAP são algumas das instituições que oferecem cursos específicos. Além disso existem as graduações tradicionais em tecnologia da informação oferecidas pelas universidades.

Salário médio: R$12 mil.

https://www.todacarreira.com/profissoes-em-alta/

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *