“Criança não namora, nem de brincadeira”, opina Marcos Mion

“As crianças se divertem? Se amam como homem e mulher? Elas têm ciência do que está acontecendo ou estão apenas reagindo a uma situação estranha que os adultos impuseram a elas?”, instigou Marcos Mion sobre a questão do “namoro infantil”.Por DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL

Em sua coluna “Pai Nível Hard””, na Revista Crescer, o apresentador Marcos Mion faou sobre um tema bastante delicado e polêmico, o “namoro infantil”.

“As crianças se divertem? Se amam como homem e mulher? Elas têm ciência do que está acontecendo ou estão apenas reagindo a uma situação estranha que os adultos impuseram a elas?”, instigou Mion.

Para o apresentador, a grande maioria das pessoas que incentivam o namoro entre crianças não tem noção do estrago e do mal que está fazendo. “Elas agem baseadas em costumes ou por simples diversão. Da mesma forma que é bonitinho ver o filho com o mesmo tênis que o pai, é bonitinho ver o filho com namorada, ‘igual ao papai’. Isso sem falar no homem – em sua forma mais primitiva e equivocada – que sexualiza o filho precocemente para ele ser um “macho conquistador”. Por incrível que pareça, ainda acontece muito. Triste.” , opinou Marcos Mion.

Mion ainda foi além na questão: “Se esses adultos parassem para analisar e pensar o que é um namoro de verdade, tenho certeza de que não iam querer que suas filhas e filhos pequenos ‘brincassem’ com essa etapa importante tão cedo. Namorar é se entregar para alguém, se dedicar àquela pessoa para iniciar a construção de uma vida a dois. É fazer uma escolha consciente sobre outra pessoa com quem você quer dividir sua existência.”

“Fico desesperado ao ver a inocência da infância e a chance da descoberta por conta própria desaparecerem por conta de traumas, medos, criação ou diversão dos pais. ‘Ah, mas namoro de criança não é isso! É só brincadeira! É inocente! Só diversão!’ Apenas na cabeça de um adulto desinformado. Na realidade, não é brincadeira. É adultização precoce, que rouba da criança uma linda descoberta, que deveria acontecer apenas na hora certa.”, finalizou o pai de Romeo, Donatella e Stefano.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações do texto escrito por Marcos Mion para a Revista Crescer.
Foto destacada: Reprodução/Instagram.

SANTANA

SANTANA - Jornalista e Bacharel em Ciência Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *